saquinho de jornal para lixeira

Que tal usar saquinho de jornal para a lixeira?

Essa é uma ótima ideia para substituir as sacolas de plástico, sabia?

O saquinho de jornal para lixeira pode e deve ser usado para recolher o lixo de banheiros, cozinha e escritórios.

Mas dá para fazer em casa?

Compra feito?

Como é que funciona?

Calma que vamos explicar tudo para você nesse post, além, é claro de te mostrar como fazer saquinho de jornal para a lixeira.

Saquinho de jornal para lixeira: o que é e porque usar

O saquinho de jornal para lixeira é uma das melhores alternativas para você substituir a bendita da sacola de plástico.

Com ele, sua lixeira fica limpinha e você ainda contribui para um mundo menos plastificado.

É fácil e rápido de fazer e você também não precisa se preocupar em comprar jornal para fazer saquinho, tá?

É possível usar aqueles panfletos de loja e até encartes publicitários deixados no portão da sua casa.

A diferença é que, dependendo do tamanho da folha, o seu saquinho pode ficar maior ou menor.

O saquinho de jornal ainda é interessante por mais um motivo: além de te fazer abandonar as sacolas de plástico, você ainda reaproveita um material que inevitavelmente também iria acabar parando no lixo.

Bora então para o que interessa? Aprenda como fazer o saquinho de jornal a seguir:

Como fazer saco de jornal: passo a passo completo

Passo 1: Transforme a folha retangular em uma folha quadrada

Abra a folha do jornal e marque a metade da folha da direita fazendo uma leve dobradura.

Em seguida, dobre a beirada dessa mesma folha até a marca do meio da página.

A ideia aqui é dobrar um quarto da página da direita no sentido vertical formando um quadrado.

Passo 2: Forme um triângulo

Agora você deve dobrar a ponta inferior da página direita sobre a ponta superior da página esquerda, formando um triângulo.

Mantenha a base para baixo.

Passo 3: Dobre o triângulo

Em seguida, dobre a parte inferior direita do triângulo sobre a lateral esquerda.

Passo 4: Vire a dobradura

Depois, vire essa dobradura ao contrário, deixando a parte que foi dobrada para baixo, escondidinha.

Passo 5: Dobre de novo

Com a dobradura virada, você deve agora dobrar novamente a ponta inferior direita sobre a lateral esquerda, da mesma maneira do passo 3.

Passo 6: Faça a boca do saquinho

Faça a boca do seu saquinho de lixo pegando uma das folhas da parte de cima e dobrando-a para dentro da aba que você acabou de dobrar.

Essa ponta deve desaparecer por dentro da aba.

Passo 7: Finalize a dobradura

Vire a dobradura para o outro lado, pegue a ponta de cima que sobrou e a encaixe dentro da aba.

Passo 8: Abra o saquinho

Agora é só você abrir o saquinho.

Se tudo tiver dado certo, a sua dobradura final ficará com uma cara de um barquinho de papel.

Passo 9: Coloque na lixeira

Com o saquinho aberto, coloque-o agora dentro da lixeira e pronto! Bye, bye sacolinha de plástico!

Se você não tiver muitas habilidades com dobraduras de papel, não se preocupe, tampouco desista da ideia.

Com um pouco de treino rapidinho você chega lá.

Uma boa dica também é chamar as crianças da casa (se tiver) e colocá-las para ajudar nessa tarefa.

Além de se divertirem fazendo dobraduras, os pequenos já vão aprendendo sobre sustentabilidade.

E, caso ainda tenha ficado com alguma dúvida, assista ao vídeo a seguir com o passo a passo ilustrado de como fazer saquinho de jornal para o lixo.

Finalizando e para que tudo fique ainda melhor, anote essa outra dica: tenha uma lixeira mãe em casa para você ir depositando o lixo dos cestos menores, como da cozinha e do banheiro.

Assim, no dia da coleta de lixo você vai ter apenas um saco grande de lixo para descartar, ao invés de um aglomerado de sacolinhas dentro de sacolinhas.

Ah, o lixo reciclável também pode ser colocado nas sacolinhas de jornal.

Viu só quanto amor algumas simples folhas de jornal podem trazer para sua casa?

Agora é só colocar mais essa ideia em prática para transformar sua casa e sua relação com o planeta! 🙂

Escrito por

Anna Munhoz

Uma jornalista apaixonada por decoração, vida simples, cachoeiras, cristais e cheirinho de bolo de canela. Acredita no poder das casas que contam histórias, na relação afetiva com o próprio lar e na beleza de viver e morar em harmonia com a natureza (mesmo em um ap. de 44 m²).